Blog Archives

Choices!

Ser Dana, não é nada fácil. Ser Dana é ter diversos segredos, alguns não tão importantes, outros muito importantes. Ainda mais considerando que um desses segredos, foi uma negociação para que o cara que você gosta seja libertado de uma gang da pesada de Faerie.

Se vocês acreditavam que na continuação de Glimmerglass, Dana iria ter um pouco de descanso e chance de respirar… pense de novo e prenda a respiração para aguentar tudo o que vem por ai.

Shadowspell

Fairiewalker triology book 02

Jenna Black

Editora: Universo dos Livros

Magia, ilusão, ameaças…

Dana descobrirá o preço da liberdade

O reino de Avalon nunca mais será o mesmo. Um grupo de caçadores bárbaros liderados pelo poderoso Erlking está a caminho do reino e promete causar a destruição total do único lugar em que humanos e feéricos convivem em harmonia.

Porém, nem tudo está perdido. Dana Hathaway, uma faeriewalker com a capacidade rara de viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia ao reino de Faerie, é obrigada a selar um pacto sombrio com o Erlking, que pode colocar a perder todos os seus poderes, deixando-a vulnerável perante um inimigo sedutor.

Magia, sedução e muito suspense estarão presentes na vida de Dana, que nunca mais será a mesma…

“O ar se tornou denso ao meu redor, mais difícil de respirar, e mal consegui conter a vontade de esfregar os braços para dissipar o formigamento. Era como se patinhas de ratos estivessem subindo e descendo pela minha pele; a sensação estava mais intensa do que nunca. Apesar de costumeiramente eu atingir as notas altas, naquele instante eu patinava, às vezes a voz saía aguda, às vezes grave enquanto eu tentava me controlar.

Eu sabia que aquilo era um progresso. A magia que me cercava estava mais forte do que nunca, e tinha atendido mais rápido ao meu chamado. Agora só restava descobrir como convencê-la a fazer alguma coisa.”

A vida de Dana em Avalon pode não ser exatamente o que ela esperava, e as vezes ela fica em dúvida sobre se foi bom ou não, porém, quando ela pensa em tudo que está acontecendo, em relação a sua mãe, seu pai, amigos. Ela não se arrepende totalmente. Mas como sempre na vida de Dana, nada é tão simples, ela tenta ter um relacionamento amigável com o Ethan, mas é difícil, ainda mais com a atração que existe entre eles, e na maneira que ele faz ela se sentir. Só que, Dana tem medo…

“E se eu soubesse o que era bom para mim, as coisas continuariam desse jeito.”  Dana

Então algo acontece, um grupo de caçadores de Faerie vem para Avalon, e tudo muda. Tudo mesmo. A vida protegida de Dana é levada a novo nível, ela é isolada, e suas sombras intensificadas. Tudo por acreditar que estes caçadores estão atrás dela.

“Era como usar um canhão para matar uma mosca.” Dana

Acontece que esses caçadores são chamados de Caçadores Bárbaros, e liderados por um imortal, que já teve a cabeça cortada e ele somente a colocou no lugar, chamado Elrking suspira e baba.

Voltando a Dana, a “prisão” a qual ela foi submetida não é infalível, assim ela dá suas escpadelas, mas nem todas acabam de uma forma, digamos, muito boa. E em volta a tudo isso, ainda tem o Ethan, Keane, sua mãe e seu pai. E, sem esquecer, o Erlking. Quem acaba manipulando situações para conseguir exatamente o que ele quer, e dando certo. As coisas dão certo para o Erlking, mas não para Dana, nem para o Ethan e Keane.

Ah! E claro, Dana descobre um “segredo” de seu pai, e no momento em que Dana faz uma loucura para salvar Ethan, que como comentei cai nos planos de Erlking e se torna um caçador, ela tenta salvar esse “segredo” do seu pai também. Mesmo com um preço bem alto aí. E, não esqueçam que ainda existem pessoas que tentam matar a Dana.

Isso sem contar com o elemento surpresa dela, que surpreende até mesmo a  ela.

Assim, escolhas feitas, consequências a serem seguidas. A diferença é que certas coisas começam a ser resolver para Dana, e ela passa a enfrentar e viver, não desistindo de ninguém e se dando um chance de ser feliz. Sabendo que aproveitou o máximo.

“Talvez eu não fosse tão realista como gostaria de acreditar.” Dana

Certo.

A continuação das aventuras de Dana são… uau!

O livro inteiro me tirou o folego, e não consegui largar. Ele é cheio de ação, romance, suspense, e Dana.

Em minha opinião a Dana é tão real que dói. Consigo sentir o que ela sente, seus temores, alegrias e desejos. Ela ao longo desse livro vai amadurecendo, tendo de aprender com escolhas erradas e suas consequências. Mas, admiro cada vez mais a coragem desta garota. A vontade e determinação dela.

Alguns dramas dentro da trama se mantem no mesmo patamar, principalmente no caso da mãe dela. Admiro a forma como a Jenna Black está tratando a questão da Dana e sua mãe, que é alcoólatra, e o peso disso na relação entre elas. A vontade e necessidade que Dana tem, em ter sua mãe sóbria, como uma mãe, sendo a madura a responsável. Algo que Dana acaba buscando como um reflexo na relação com o pai. Em outras palavras, Dana quer ser cuidada, quer ter a chance de agir como uma adolescente normal. Até que Dana percebe que algumas coisas só ela poderá cuidar e ser responsável e que as vezes assim é melhor.

Algo que chamou muito a minha atenção no livro foi o amadurecimento do Ethan. Claro que se levar em consideração tudo o que aconteceu com ele durante a trama, é super compreensível, porém ele dá sinais antes, mesmo que em uma tentativa falha. É admirável. Admito que não gostava nem um pouco dele no primeiro livro, agora, comecei a gostar, mas ainda não me convenceu de que ele merece a Dana. Só que ele está no caminho certo, mesmo que como resultado  de acontecimentos não tão agradáveis, é só um passo de uma longa caminhada, e o melhor de tudo, se esforçando para isto.

Já o Keane me surpreendeu, não de forma tão boa. Ele foi um tanto imaturo em diversos momentos,  mas ninguém é perfeito. A Kimber tem seus altos e baixos, mas continua sendo uma fofa que eu adoooro. E obvio, o Finn, continua sendo meu marido lindo e gostoso. LOL

Dois personagens novos me surpreenderam, com sua complexidade e contexto. O Elrking e o Connor. O Erlking é o típico bad-boy delicioso e verdadeiramente perigoso, manipulador que sempre consegue as coisas como ele quer. O Connor, não tem nenhuma fala, mas só a existência dele, e todas as implicações dessa existência, desde sua origem, são suuuuuuper complexas.

A Jenna Black me surpreende mais uma vez com toda a trama, personagens e história. Jenna, sou sua fã! O livro é impressionante e viciante! E para mim, ela criou o vilão mais irresistivel, gostoso, gato, lindo e alpha de todos os tempos!

Agora vou voltar a leitura de Sirensong.

Ah! Antes que esqueça, esta música me lembra a Dana, de diversas formas. Tanto nela com o Ethan, com o pai, com a mãe e com o contexto geral da trama.

Outra coisa, as capas! A Universo está de mega parabéns pela capa brasileira a maior, que é linda demais, e me apaixonei por ela, eu vejo a Dana ali!

Beidjo da Mads.

Avalon welcomes you…

Como seria passar 16 anos de sua vida se considerando: normal, tediosa, não lá muito bonita, e sendo obrigada a amadurecer mais rápido, até que decide que “CHEGA!” e vai atras do pai, até então desconhecido e que não sabia de sua existência. Assim, de repente sua vida fica de cabeça para baixo, descobre que você é como uma arma super poderosa e que todos querem um pouco de você, ou sua cabeça.

Bem vindos a vida de Dana Stuart ops Hathaway.

GLIMMERGLASS

Fairiewalker triology book 01

Jenna Black

Editora BR: Universo dos livros

Editora US: St. Martin’s Press

Quando o mundo real é o de magia se cruzam…

Dana Hathaway ainda não sabe, mas vai acabar se metendo em apuros quando decide que é a hora de fugir de casa para encontrar seu misterioso pai na cidade de Avalon: o único lugar na Terra onde o mundo real e o mágico se cruzam. No entanto, assim que Dana põe os pés em Avalon, tudo começa a dar errado, pois ela não é uma adolescente comum – ela é uma faeriewalker, um indivíduo raro que pode viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia a cidade de Faerie.

Não demora muito e Dana envolve-se no jogo implacável da política do mundo da magia. Alguém está tentando matá-la, e todos parecem querer alguma coisa dela, desde seus novos amigos e da família até Ethan, o lindo garoto com poderes fantásticos com quem Dana acha que nunca terá uma chance… Até ter uma.

Presa entre esses dois mundos, Dana não sabe bem onde se encaixa ou em quem pode confi ar, muito menos se sua vida um dia voltará a ser normal.

Acreditem quando eu digo que a Dana não é uma coitada, muito menos digna de pena por mais que a gente sinta isso por ela, pois esta garota é incrível, forte, linda, engraçada, determinada, guerreira, inteligente, enfim uma super heroína mega diva.

A vida de Dana muda totalmente quando ela vai para Avalon atrás do pai, em busca de uma vida normal, ou algo próximo a isso, onde alguém cuide dela e ela possa ser o que ela é, uma adolescente. Só que isso não acontece e mal coloca os pés em Avalon e se ve sem saber ou entender o motivo envolvida em trama política e de poder.

Em menos de 48 horas ela conhece sua tia, fica sabendo que o pai foi preso, é sequestrada, salva por um “herói” super gato e sua irmã mal humorada ambos feericos, é atacada por monstros, começa a se interessar por esse “herói”,  é escondida na casa da irmã do “herói”, descobre que ela é super legal, conta seu maior segredo até então para ela, começa a ficar amiga de verdade dela, depois tem de se esconder de novo em outro lugar, sozinha com o “herói”, acaba nos braços dele mesmo achando que não é boa o suficiente para ele e mesmo tendo escutado a irmã dele falar o quanto ele é galinha e blábláblá, ela começa a se apaixonar por ele,  ele magoa ela, ela foge, muda de esconderijo, descobre que seu “salvamento” não foi bem isso.

Mas não acaba nas 48 horas, continua…

Ela conhece o pai, ela descobre quem é o pai do “herói”, ela se sente usada; traída; enganada; boba; magoada e quase apaixonada por ele, e ela não se sente só assim por causa do “herói”, mas pela irmã dele também.  Só que não acaba por aí, o pai descobre outro novo segredo dela, que foi o “herói” que apresentou, aí ela é obrigada a ter uma sombra, ela é obrigada a sair de casa com ele, tem seu coração quebrado escutando algumas verdades, fica mais magoada, tenta dar uma chance e retomar a amizade com a irmã do “herói”, sofre um super atentado, que faz com que ela se sinta vulnerável e decida ter aulas de defesa pessoal com um professor pouco mais velho que ela, ultra arrogante, super metido, chato e mega LINDO.

Mas obviamente se tá ruim, ainda pode piorar… porém, vou parar por aqui, senão será spoiler demás! Contudo, irei liberar alguns pensamentos e falas da nossa amada Dana.

“Se um raio me atingisse e me matasse naquele momento, eu até que ficaria feliz.”

“Por um instante pensei que ele iria me abraçar; fiquei tensa. Na verdade não sou do tipo de pessoa que toca os outros nem nos melhores momentos, e aquele não era um deles.”

“-Quer dizer que quer mesmo que eu lhe dê uma cabeçada? – perguntei incrédula.

-A menos que queira passar o resto do dia fazendo amizade com o carpete.”

“Acreditei nele. Claro, também acreditei nele antes, portanto meu discernimento era questionável.”

“-Não tente me dizer o que eu sinto ou penso.”

OOOOOOOOOOOOOOOOK! Em poucas palavras…

AMEI, MORRI, VICIEI!

A Jenna Black é incrível, o mundo que ela nos apresenta em Glimmerglass é mais do que mágico, delicioso, maravilhoso, ele é absoluto!

Eu resisti demais a ler o livro, não sei bem o motivo; talvez por saber que seria uma triologia e ainda não tinham saido ou outros, mas depois que li o primeiro capitulo… não consegui mais parar! Tanto o cenário, a trama, os personagens me encantaram, me viciaram.

A complexidade da Dana é tão deliciosa, tão real, que é quase como se a Dana fosse uma parte de cada leitor. A gente sofre com ela, se diverte, chora, ri, teme, surta, luta, tudo com ela. De protagonista de YA de fantasia, a Dana está lado a lado com a mais kickass, badass, e amada além de preferida e referencia Rose Hathaway acho que ela são primas! go team hathaway! O crescimento da Dana no livro é totalmente perceptível mas claro! com tudo que ela tem de enfrentar. Uma ótima protagonista, preferida de certeza junto com a  Rose. Jenna, no futuro ela pode ser minha filha?

Outros personagens que chamaram muito a minha atenção huh, quase todos 😐 :

  • Kimber: super forte, inteligente, linda, amiga, mas com diversas questões delicadas, como a sensação de inferioridade em relação ao irmão gente… ela é a irmã do herói!, o ciume dele por motivos totalmente aceitáveis e compreensíveis,  além da magoa em relação ao pai, muito mais que compreensível, ainda mais tendo um irmão com um super ego. Eu amei ela tanto quanto a Dana, acho que ela deve e terá mais espaço, ou uma spin-off só dela, mas não coisa pequena, coisa grande! Já que existe uma prequel que se passa antes de Glimmerglass onde ela é a protagonista e nos ajuda a entender um pouco mais o motivo dela e o irmão terem uma relação complicada.
  • Keane: o professor arrogante, metido, lindo, e gostoso de defesa pessoal. O badboy da história ou até o momento, ele tem muuuuuita coisa a nos apresentar ainda, e creio que terá mesmo!
  • Ethan: o herói arrogante, egocentrico, riquinho, metido, convencido e tudo bem assumo, lindo! Que quase se redimiu comigo no final do livro quase!, só que eu ainda não sei se eu amo ou odeio ele.
  • Finn: por último e não menos importante, eu apresento a você o meu marido, e sim eu sei que ele não pode casar, mas eu vou convencer ele a isso! a sombra de Dana, seu guarda costas. Super complexo, quase hilário, lindo baba, super baba nele, MAS TIREM OS OLHOS SUAS ZOIUDAS! ELE É MEU! MEEEEU!

Claro que tem a mãe e o pai da Dana, mas eles são um caso a parte, ainda não consegui compreender eles muito bem, por mais que dá para perceber que os dois amam muuuuuuuuuuuuuuito ela, e são super importantes e tem parte no que faz a Dana ser quem é.

AH! Quase esquecendo, a Dana é única! Uma arma como eu já falei de lingua afiada, rebelde, fofa, com poderes mega únicos. A única faeriewalker existente, assim tem um preço por sua cabeça… maaaaaaaas tem mais algo que ninguém sabe, pois se souberem, as coisas vão complicar ainda mais.

Enlouqueci tanto com o livro que tiiive de comprar o segundo, Shadowspell, mas que só vou ler quando tiver o Sirensong em mãos, senão quando terminar o Shadow vou meio que enlouquecer todos a minha volta. Folks! Segundo a Universo dos livros, o Sirensong sai mês que vem! TODOSSURTAM!

Caso não tenham percebido… SUPER indico!

Beidjo da Mads.